Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Ciência
Coronavírus: Pesquisadores desenvolvem teste a partir de anticorpos de animais
Método utiliza nanotecnologia para detectar o vírus.
O Sul
por  O Sul
08/08/2021 10:26 – atualizado há 4 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Um time de cientistas brasileiros está desenvolvendo um kit para diagnóstico da Covid-19 capaz de identificar, em até dois minutos, o Sars-Cov-2 a partir de anticorpos extraídos de cavalos, coelhos e camundongos. O modelo de teste em estudo utiliza a nanotecnologia para fazer a detecção do vírus em amostras de swabs nasofaríngeos de pacientes com suspeita de Covid-19.

Além da rapidez no diagnóstico, a tecnologia empregada vai reduzir os custos de produção dos kits. O estudo reúne pesquisadores de dez instituições, entre elas os institutos Vital Brazil, no Rio de Janeiro, e Butantã, em São Paulo, além de universidades públicas e privadas.

A pesquisadora Célia Machado Ronconi, da UFF (Universidade Federal Fluminense), explica que, a partir da purificação do soro contendo os anticorpos do cavalo, os cientistas conseguiram obter uma grande quantidade de biossensores empregados na identificação do vírus. Como os anticorpos equinos são produzidos em grandes quantidades pelo Instituto Vital Brazil, será possível a produção dos chamados biossensores também em grande escala.

A pesquisadora da UFF ressalta ainda que a metodologia empregada na produção dos kits para Covid-19, no futuro, também poderá ser usada para identificar a presença de outros vírus, como o H1N1, Zika, Dengue e Aids.

Ronconi faz parte de uma rede nacional que inclui ainda cientistas da PUC-Rio, UFRJ, UnB, UFMG, USP-São Carlos, as universidades federais do Tocantins e de Goiás, o Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste, o Instituto Vital Brazil e o Butantã.

Em outra frente da pesquisa, coordenada pelo professor Ricardo Bentes de Azevedo, da Universidade de Brasília, foram utilizados anticorpos de coelhos na identificação do vírus, em amostras de saliva de 176 pacientes contaminados e não contaminados com o coronavírus.

Os testes mostraram que o sistema também é capaz de fazer a detecção do vírus Sars-CoV-2. Se o kit for aprovado pela Anvisa, o custo do teste, que será feito a partir de saliva ao invés do cotonete, ficará em torno de R$ 5.

Além do baixo custo, o resultado também pode ser obtido em menos tempo. A estimativa dos pesquisadores é que o tempo de leitura do diagnóstico varie entre dois e cinco minutos. A rede recebeu R$ 608 mil de financiamento da Faperj e mais R$ 2,5 milhões do CNPq.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...