Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Amigo matou família antes de incendiar casa no Oeste de SC
Caso aconteceu em São Domingos no mês de maio e suspeito está preso preventivamente.
NSC/DC
por  NSC/DC
13/07/2021 14:46 – atualizado há 4 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

A família encontrada sem vida após um incêndio em São Domingos, no Oeste de SC, foi morta por um amigo antes das chamas. O homem confessou os assassinatos, mas disse não se lembrar do crime. O inquérito foi concluído na sexta-feira (9) e o suspeito segue preso em Xanxerê, diz publicação do DC/NSC, nesta terça-feira(13).

Em coletiva de imprensa nesta terça-feira (13), o delegado Roberto Marin Fronza, afirmou que o homem pediu para ser ouvido novamente após a conclusão do inquérito. Ele teria confessado que usou drogas antes e teve um “apagão”. Quando acordou viu que portava uma faca e que as quatro vítimas estavam sem vida.

O incêndio, segundo a polícia, foi uma forma de acobertar o crime. Um galão com diesel foi encontrado na casa do suspeito. Ele foi identificado por testemunhas que afirmaram que ele esteve na residência no dia dos assassinatos.

Segundo Fronza, o homem era muito próximo a família, considerado um primo de criação. Ele foi preso temporariamente seis dias após o crime. O suspeito foi indiciado por quatro homicídios qualificados e por ter ateado fogo na residência.

Perícia apontou assassinato

A perícia feita nos corpos das vítimas apontou que as mortes não teriam sido provocadas pelo incêndio. Segundo o perito Renan Locatelli, foram identificados cortes nos pescoços dos quatro mortos. A mulher de 31 anos também tinha um ferimento no tórax.

Os locais onde as crianças de 10 e 11 anos foram encontradas também aumentaram a suspeita de que se tratava de um assassinato. Elas estavam na cama e no sofá da residência. O fato, segundo o delegado Fronza, chamou a atenção, pois, indicou que elas não tentaram fugir das chamas.

O carro do suspeito também foi periciado. No veículo foi encontrado sangue e a amostra foi levada ao Instituto Geral de Perícias. Não foi confirmado se o material coletado pertencia a alguma das vítimas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...