Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Política
Presidente Bolsonaro reúne centenas de motociclistas e faz passeio pelo DF
Com um número elevado de motociclistas, Bolsonaro iniciou o trajeto do Palácio do Alvorada e seguiu pelo Eixo Monumental.
Jornal de Brasília
por  Jornal de Brasília
09/05/2021 17:06 – atualizado há 4 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O presidente Bolsonaro realizou na manhã deste domingo (9), um passeio de motocicleta ao lado de apoiadores do governo. Com um número elevado de motociclistas, Bolsonaro iniciou o trajeto do Palácio do Alvorada e seguiu pelo Eixo Monumental.

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

Bolsonaro tem intensificado sua aparição junto ao público em um momento em que o Governo Federal é atacado na CPI da Covid. No sábado (8), o Chefe do Executivo voltou a criticar a CPI e se referiu ao colegiado do Congresso como um “vexame”. A apoiadores, o presidente também defendeu o uso da cloroquina no tratamento contra o coronavírus e afirmou que irá fazer um vídeo nesta semana com seus ministros falando se tomaram ou não o medicamento, que não tem eficácia comprovada contra a doença.

“Continuo dizendo, só Deus me tira daquela cadeira. Não vai ser. . essa CPI tá um vexame, só se fala em cloroquina. Mas, o cara que é contra, não dá alternativa. Tenho certeza que alguém tomou hidroxicloroquina aqui. Alguém tomou?”, perguntou a um grupo de apoiadores que estavam no Palácio da Alvorada nessa manhã. “A gente vai fazer um vídeo nesta semana, dos 22 ministros, todas aqueles que tomaram hidroxicloroquina vão falar eu tomei. É a alternativa no momento. Ah, não tem comprovação científica, mas não tem cientificamente falando o contrário também”, afirmou.

Em sua primeira semana de trabalho, os depoimentos prestados à CPI tiveram como foco o “tratamento precoce”, defendido por Jair Bolsonaro. Aos senadores, os ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich relataram a pressão do chefe do Executivo para que o Ministério da Saúde defendesse o tratamento. Já o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga, evitou se comprometer com a defesa pública que o presidente faz da cloroquina.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...